Páginas

Marcadores

quinta-feira, 30 de maio de 2019

BOA MÃO


        
    Um vizinho lá de fora, longe de ser mentiroso, sempre dizia que ninguém tinha a mão tão boa como ele para plantar, podar e coisas do gênero.
            Toda vez que se entrava no assunto, ele tomava a palavra e tentava convencer aos demais do seu poderoso dom.
            Certa feita, numa roda de prosa, veio mais uma vez o assunto e quando ele se manifestou lhe foi pedido que desse algum exemplo ou mostrasse onde havia a prova “dalgum” feito seu, neste sentido.
            Sem fazer rodeio, logo se saiu com esta:
            - Aquela roseira que tem em frente da igreja enroscada na árvore, fui eu que plantei. Era apenas um pequeno galho que enterrei lá junto com um cabo de vassoura o qual também brotou e é justamente a árvore onde a roseira está enroscada.
            Doutra feita contou que levou para casa um pequeno galho lascado de uma árvore que existia na praça da cidade. Chegando em casa já tarde da noite e com medo do galho não resistir até o outro dia, resolveu enterrá-lo de noite, colocando bastante água, só que na pressa e no escuro, enterrou o galho com a ponta de cima para baixo.
            Cheio de afazeres, esqueceu da planta, só lembrando após dois meses quando numa noite choveu. Deixou amanhecer e ansioso foi no fundo do terreiro e lá estava o galho com as raízes espalhadas por cima da terra.
            Afirma ele com certeza, que as folhas devem estar “verdinhas” embaixo do chão.
            Para ilustrar outra façanha, anda mostrando esta foto como prova.


Nenhum comentário:

Postar um comentário