Páginas

Marcadores

segunda-feira, 29 de julho de 2019

TROTE DA ESPERANÇA



Foto própria


Um desacerto com o patrão
por lambança de outro peão
por muito pouco quase nada
deram apoio ao canalha
mandaram juntar as tralhas
e que pegasse a estrada

Meia dúzia de patacas
se ajeitaram na guaiaca
pagamento do patrão
saiu sem ter despedida
porém de cabeça erguida
com consciência e razão

Na calma da madrugada
sobre o lençol da geada
o quero-quero num grito
rasgou o silêncio do campo
e montado num pingo ao tranco
ia o vivente solito

Chapéu negro de aba larga
esporas cosquilhando a ilharga
enroscadito no pala
só se via o nó do lenço
um palheiro fumacento
e um fiambre recheando a mala

Já com horas de estrivo
cavalgava pensativo
deixando o rastro na estrada
desta vez ia solito
floreando um assobiozito
mesclado com as baforadas

Há algum tempo passado
por ali foi noticiado
que a Estância Santo Hilário
tava de porteira aberta
tinha pegada na certa
muita doma e bom salário

E pra lá tomou o rumo
pra seguir mantendo o prumo
de um peão que entende da lida
e sem chorar as pitangas
deixar de viver de changas
mudar de sorte e de vida

Com o sol já no horizonte
ao trote cruzou a ponte
do velho rio Camaquã
então vencida  a distância
deu Oh! de casa na estância
com esperança no amanhã

quarta-feira, 24 de julho de 2019

UNS E OUTROS

Foto própria

Uns reclamam da seca
outros reclamam da chuva
uns se queixam da lagarta
outros se queixam da saúva

Uns detestam o frio
outros detestam o calor
uns não cuidam da saúde
outros se queixam da dor

Uns tem nojo dos outros
outros tem nojo de uns
uns não gostam de muitos
muitos não gostam de alguns

Uns tem cara de bom
outros tem cara de mau
uns tem caras honestas
outros tem cara de pau

sexta-feira, 12 de julho de 2019

MINHA PÁTRIA SULINA

Foto de Paloma


Quando um laço corta o espaço
no entrevero de um rodeio
é o Rio Grande num floreio
se espichando qual baraço
e sai na força do braço
relembrando as campereadas
se abrindo numa armada
pra mais um tiro seguro
deste pago pelo duro
orgulho da gauchada

Laça a prenda laça o peão
gurizada e veteranos
todos dão mostra do pano
numa grande comunhão
na parceria de irmãos
cangados por um ideal
tendo no ponto cardeal
a mesma direção
a conduzir a tradição
de um Rio Grande bem bagual

Lenços brancos e colorados
e chapéus tapeados ao vento
és Tu Rio Grande pacholento
na tradição irmanado
e um coração agrandado
pulsiona o sangue farroupilha
pra seguir na mesma trilha
dos que nos antecederam
e que por Ti muitos morreram
peleando em Tuas coxilhas

Pra Ti minha Pátria Sulina
rendo mais uma homenagem
e não me falta coragem
pra dizer com esta rima
que a Providência Divina
no seu sábio catecismo
instituiu o Teu batismo
pra teres a identidade
Liberdade Igualdade Humanidade
bravura e gauchismo